Notícias Fecomercio

6 de maio de 2019

Empresa precisa fornecer uma série de garantias para conseguir crédito em bancos públicos; saiba como proceder


É importante estimar em um plano estratégico qual o retorno esperado do investimento e em qual prazo a organização conseguirá devolver os recursos à instituição financeira

Qualquer empresa pode buscar crédito no mercado para concretizar seus planos de curto ou longo prazo, seja em função do ganho de relevância e permanência no mercado que integra, do aperfeiçoamento dos produtos, da gestão e melhora do caixa, ou mesmo para tirar projetos antigos da gaveta. Atualmente, há financiamentos para quaisquer necessidades da organização em bancos de desenvolvimento, bancos privados e públicos com linhas de empréstimo comuns.

Para entender o impacto desse mercado na economia, é importante olhar para a conjuntura. A concessão de crédito tem se expandido no País, a despeito das previsões de baixo crescimento ou estagnação do produto brasileiro. Segundo o Banco Central (BC), o saldo de crédito disponível a pessoas físicas e jurídicas cresceu 5,1% em 2018, devido ao recuo das taxas de juros, à redução dos indicadores de risco e à inadimplência em patamares menores do que nos anos anteriores.

Em março deste ano, o saldo das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) alcançou R$3,3 trilhões. O saldo destinado a empresas cresceu 0,8 – somando R$1,4 trilhão – de acordo com os dados mais recentes do BC. O órgão enfatiza que a projeção para o crédito livre em 2019 é de expansão de 12% para empresas, com tendência a seguir impulsionado pelos descontos de recebíveis e pela recuperação do capital de giro.

Uma das fontes de recursos são os bancos públicos, com ampla participação na concessão de crédito. Segundo o consultor sênior da Nodari Consultoria, Adriano Nodari, conseguir crédito de uma instituição pública é um processo trabalhoso, ainda mais para empresas pequenas, pois é necessário que tenha um plano de negócios e de investimento, atém de já ter calculado e planejado como aquele dinheiro irá ser devolvido para o banco.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) avalia que o governo precisa tornar menos rígidas as garantias que as empresas têm de oferecer a fim de obter financiamento junto aos bancos. A Entidade aponta que a desburocratização do mercado de crédito é fundamental para fomentar o desenvolvimento do País, pois impacta diretamente na confiança dos micros e pequenos empresários, que terão uma ferramenta eficiente para o seu negócio, fluxos de caixas mais positivos, e mais segurança para realizar investimentos.

A FecomercioSP frisa ainda que hoje são consideradas na análise de concessão de crédito por instituições públicas somente as receitas que integrarão as vendas parceladas já realizadas, como, por exemplo, as vendas de mercadorias em prestações no cartão de crédito. Uma empresa com faturamento médio mensal de R$ 1 milhão, nesse caso, poderia estipular essa projeção como garantia na concessão de um empréstimo. Uma possibilidade defendida pela Federação seria fornecer as expectativas de vendas futuras como garantia. Confira a matéria completa aqui.

 

 

Voltar para Notícias